CARAVANA DA ALMA

Uma linda e prodigiosa história sobre o encontro com a alma e a jornada na vida. O mistério do caminho da sabedoria pincelada pelas tradições de muitos povos que irrompe na temporalidade como valor e superação das dificuldades.

Um jovem tuaregue, em cumprimento a um rito de passagem, que define a entrada na maioridade, terá uma audiência com o xeque de sua tribo, governante considerado virtuoso. Isto o levará a desafios inesperados, impostos pela tradição dos homens, obrigando-o a superar os limites de sua vida; lutará em muitos momentos contra as próprias ilusões e as do mundo, mas conhecerá uma forte amizade com um indiano, como também, os caminhos e descaminhos dos sonhos e do amor.

Numa época distante, vivia próxima à orla do Saara uma orgulhosa tribo de ricos mercadores e de elevada cultura. Esta também com disposição guerreira e enraizada nas tradições dos povos do deserto tinha o costume de os varões, no seu décimo sexto ano de vida, serem convocados para uma audiência com o xeque. Nessa oportunidade, decidia-se o futuro dos garotos dentro da tribo.

Um jovem de nome Hakim, enquanto esperava ansioso pela audiência, distraía-se a observar o sol que ia mergulhando no oeste e queimando a areia do deserto. Ele pensava nas lições simples da vida, no seu futuro e na bela Amira, uma mocinha que tanto amava, desde os seus sete anos de idade.

Enquanto tentava premeditar os acontecimentos, teve a atenção fisgada pelas flâmulas heráldicas da sua tribo, ali hasteadas nos quatro cantos da tenda do governante. Brancas e cinzas eram elas, dispostas de modo alternado. E uma vermelha ao centro que se destacava pelo tamanho e altura. Todas se agitavam nervosamente em função de um algum vento fortuito.

Olhando-as, indagava à sua alma, se não seria ele como uma daquelas flâmulas, afinal? Soltas na ventania do mundo e presas ao império dos homens. Naquele momento só desejava ser um chefe de caravana de sua amada tribo. Mas o que a existência lhe reservava seria bem diferente e desafiador. Sem que pudesse imaginar, um dos nós do seu destino seria desatado no tradicional encontro, significando necessariamente mudança, aventura, aprendizado e muitas descobertas.

O livro, Caravana da Alma, em poucas palavras, é a história de uma alma que se realiza entre a aridez do chão, a riqueza do caráter e o íntimo vivente no interior do homem.