Alquimia VII

14/07/2017

Do lugar que não conhece limites e onde fronteiras se estendem como cercas abolicionistas, o mar dos seus desejos veio como uma ventania de mil dias.

Muito mais do que se irrompeu do ontem eterno, a experiência do amor viaja como uma luz holográfica transcendente, unindo até vastidões sombrias... e de seus olhos tão próximos e telepáticos, transliterando símbolos cabalísticos, a saudade abisma do divino ao homem.

E como existe uma visão que nos aproxima da pedra e da poeira humana, existe uma outra que desvela um horizonte não imediato, porém maior e solícito.

Levanta-te! Nada deve ser contido, a estrela explode em sua orgástica origem. O olhar assim estendido é um sinal que a fé se aproxima do anjo que anda ao seu lado comovido.

E quando já em seus lábios unidos, o aviso: o silêncio é vivo.

Carlos França