O BREVE VOO DA LIBÉLULA

17/12/2017

Apresentação

Um dia estava passeando com minha mulher num lugar arborizado. Andávamos próximo a um laguinho em que patos nadavam alegremente. Então ela me falou sobre o tempo de vida das libélulas e suas fases. Aquilo me despertou profundamente. Quase de imediato, disse-lhe que dava um excelente livro. E falava sério. Só não imaginava como seria a história.

À época algumas libélulas haviam adentrado nosso apartamento e chamado a atenção de todos. O interessante desse evento é que só foi naquele período, depois nunca mais vimos nada. Como não poderia deixar de ser, fomos em busca do seu significado. E encontramos, entre outros, felicidade, equilíbrio, intensidade e força.

Na verdade, a libélula é fase adulta das ninfas (larvas), e só dura alguns meses. Já a fase ninfa propriamente, bichinhos que vivem sob a água, pode chegar a cinco anos. Portanto, voar é só uma fração mínima de toda sua existência.

Foi essa descoberta que muito me tocou. Então pensei, "a própria vida humana é assim, vivemos a maior parte como esses bichinhos, imaturos, sem nem mesmo saber da possibilidade do nosso maior voo".

E isso é muito forte e significativo para vida como um todo. Para vida humana, diga-se. Pois quando a libélula voa, o faz intensamente e de forma definitiva. Podemos até dizer que o primeiro valor simbólico que emerge é aproveitar o momento, vivendo-o com toda força de nossos corações e consciência. Contudo, na essência, é a maturidade o gramde tesouro desvelado aí.

O livro é uma alegoria com a vida humana, mostrando o despertar da maturidade, consciência e o contato com a espiritualidade no decorrer da própria existência. Esse fascinante processo da vida que se recria e se transforma em algo maior.

Dezembro de 2017

O Autor