Singo - Libra

10/10/2017

No refúgio da constelação de Libra vibram cordas tão tenazes e perfeitas que mesmo o peso de uma balança imprecisa se equilibra. Libra em seus atos delicados e afetivos faz pontes com o outro, com o próximo... ali, um outro eu na verdade.

Por isso, busca o melhor dos princípios, a paz ou a conciliação dos conflitos. Além disso, possui uma qualidade magnífica de promover amizades ainda desconhecidas e potencialmente bonitas.

No simples ato social de se unir, quando entre a Virgem despida e inaudita, ela exalando a pureza dos sentidos; e do outro lado, ouvindo o Escorpião que grita pelo veneno da vida, tudo que Libra quer é celebrar o encontro incrivelmente vivo.

Libra, então, expõe seu modo idealista, seu charme e seu bom gosto e diz calmamente com voz aflita: "se um dos pratos da minha balança afaga o coração folguista. Não se preocupem, o outro ergue a afiada espada da mente, eliminando as ilusões sofridas".

A riqueza é tanta  em sua inteligência nativa, que mesmo seu bom julgamento ou juízo quase infalível, nunca se esquece ou se perde de suas aptidões estéticas e vanguardistas.  Nessa hora, pode se ver a deusa Vênus com os pés descalços subindo os degraus do coração mais livre, o do artista.

E nos vãos equidistantes do templo da harmonia, não é incomum ver a deusa  passear alegremente, e, ali distraída, absorver os sentidos mortais enquanto os cativa, que se o mundo é em parte requintado é graças aos bons ares de Libra.

E um dia lá de joelhos no templo da harmonia, lemos a frase em seu altar: "se somos em existência partilhada na onipresença desse ar que respiramos a vida, a igualdade é a vocação mais bonita".

Carlos França